Contra os gays, quem prevalecerá?

Imagem do perfil da Casa Branca no Facebook em comemoração à decisão da Suprema Corte a favor do casamento igualitário nos EUA | Reprodução

Imagem do perfil da Casa Branca no Facebook em comemoração à decisão da Suprema Corte a favor do casamento igualitário nos EUA | Reprodução

Há alguns meses escrevi um artigo sobre as leis de liberdade religiosa nos Estados Unidos da América (EUA) e a opressão ao casamento igualitário para um periódico brasileiro. O artigo nunca chegou a ser publicado. Talvez, pelo tom em minhas palavras que afirmavam que o inevitável aconteceria, que amor LGBT prevaleceria, apesar da onda crescente de conservadorismo. Nunca soube os motivos reais de o artigo não ser publicado.

Hoje, me regozijo com a decisão da Suprema Corte Americana e, com alegria, compartilho o artigo com vocês, certo que venceremos ainda que o caminho seja longo. E faço isso junto à imagem do perfil no Facebook da Casa Branca que se coloriu para nossa vitória nos EUA.

“É uma vitória para casais gays e lésbicos que lutaram por tanto tempo pelos direitos civis básicos. É uma vitória para as crianças cuja as famílias agora serão reconhecidas como iguais a qualquer outra”, disse o presidente Barack Obama em pronunciamento sobre a decisão. E não outro nome para isso, a não ser vitória.

Contra os gays, quem prevalecerá?
Fernando Nunes*

A onda de conservadorismo que tem se levantado nas democracias mais sólidas do mundo e instado políticas contra a população LGBT chegou ao ponto em que os defensores da tradicional família monogâmica cristã não enxergam mais a que recorrer, a não ser, à tentativa desesperada de transformar o poder de Deus no poder dos homens.

As recentes aprovações da “Lei de Restauração da Liberdade Religiosa” nos estados americanos de Indiana e Arkansas são um exemplo desse desespero, que traz como argumento a prerrogativa de impedir do governo de obrigar pessoas a fazerem coisas as quais se opõem por motivos religiosos, como a o fornecimento de flores a um casamento gay.

O progresso de legislações dessa natureza nos Estados Unidos é claramente uma ofensiva política ao avanço do casamento igualitário que está se tornando uma realidade nacional. Hoje, 38 estados americanos permitem a união de pessoas do mesmo sexo, assim como alguns outros direitos civis em uniões homoafetivas. Em contrapartida, 21 estados têm leis de liberdade religiosa baseadas em uma Lei Federal sancionada pelo presidente Bill Clinton em 1993.

Na balança do preconceito, a população LGBT naturalmente tem prevalecido e inquietado o esquadrão conservador que a cada dia se vê de mãos atadas diante da fluência do que é certo. “A paisagem cultural mudou tão significativamente na última década que até mesmo pessoas nas partes mais conservadores do país estão se recusando a deixar que a discriminação aconteça em seu nome”, disse-me Andre Banks, Diretor Executivo da All Out, organização internacional de luta pelos direitos LGBT, que acompanha de perto a situação no país.

No caso de Indiana, onde o casamento gay é legal desde outubro do ano passado, a atitude só demonstra a covardia de grupos políticos anti-LGBT, visto que os habitantes do estado já podiam discriminar por orientação sexual e identidade de gênero, uma vez que não há leis estaduais específicas a favor dessa parcela da população. No Brasil, não estamos tão distantes dessa realidade aterradora, posto que na política brasileira esse papel opressor é desempenhado pela disparatada Frente Parlamentar Evangélica (FPE) no Congresso Nacional, que já barrou muitos projetos pró-LGBT.

Embora existam inúmeros exemplos de que religião e sexual e de gênero não precisem se opor, como é o caso do apoio dado ao Coral Gay de Curitiba pela Igreja Anglicana da cidade, que abriga os ensaios semanais do grupo em um de seus templos, a luta está longe do fim. “Essas mudanças foram conquistadas com muito esforço e graças ao trabalho incansável de inúmeras pessoas que estão se manifestando em defesa do amor e da igualdade”, lembra Banks.

O fato é que sob o pretexto da vontade de Deus, o conservadorismo radical busca justificativas para negar direitos inerentes à pessoa humana, quando isso já não é mais possível. Basta dizer que o Estado Democrático de Direito por si só, impede que se perpetuem condutas que atentam contra os Direitos Humanos, decretando, ainda que em longo prazo, garantias legais ao cidadão LGBT.

*Fernando Nunes é jornalista e escreve sobre cultura LGBT.

Anúncios

10 pensamentos sobre “Contra os gays, quem prevalecerá?

  1. Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem seus corpos desonrados entre si… Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até sua mulheres mudaram o uso natural no que é contrário a natureza; semelhante, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa de seu erro… os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam. Romanos 1: 24,26,27 e 32. Não se engane, Deus é amor, mas também é justiça.

  2. Deus é Amor e Justiça! Aguarde que a Mão de Deus não está encolhida, e afirmo que a ira do Deus Vivo vai cair sobre todas as Autoridades que legalizou esta imundicia e em todos os participantes da imundicia: Pois, está escrito na palavra de Deus Levítico 18;22 (Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é;) A Justiça Divina vem a Jatinho e não de Carroça.Deus constituiu a Família a partir de Eva e Adão e assim prevalecerá a vontade de Deus, pois, ela é Boa,Perfeita e Agradável.

  3. Com certeza a ativismo gay vai prevalecer, ou então Jesus estaria mentido, pois Ele diz em sua palavra que os últimos dias, seriam como os de Sodoma e Gomorra, JESUS ESTÀ VOLTANDO!

    • Obrigado por seu comentário, Ronaldo, mas particularmente, penso que Jesus não está contente de ver o nome dele sendo usado para destruir e infligir sofrimento a outros seres humanos. “Mulher, onde estão teus acusadores? Ninguém te condenou? Nem eu também te condeno.”, disse o Mestre.

  4. Se exigir o “Direito” de saltar de um prédio de 20 andares de ponta cabeça, é DIREITO, então é direito não orientarmos que homossexualismo de qualquer rótulo é pecado e perigoso à saúde pública.

    • Jovi, se você classifica homossexualidade (não homossexualismo, pois este termo não é mais usado) como “perigoso à saúde pública”, deveria saber que os órgão governamentais responsáveis pela saúde pública não o consideram como tal, entretanto existe órgãos governamentais que caracterizam ataques de natureza preconceituosa como perigosos à sociedade, inclusive, com imputação criminal. Em um Estado laico, devemos preservar nossas crenças religiosas para nós e para aquelas que a procuram, não podemos impor as outras pessoas que acreditem no que acreditamos. Duvido que alguém esteja tentando convencer você a se tornar homossexual, lhe coagindo com argumentos nessa direção. Liberdades individuais precisam ser respeitadas sempre.

  5. Pregamos contra pecados sexuais e de costumes por pura misericórdia as almas de todos os praticante, mas por causa da prisão ao vício eles odeiam as orientações de Cristo.

  6. Ora, a militância LGBT quer liberdade de expressão mas não quer que o empresário (liberdade de mercado) escolha com quem pretende fazer negócios. O comerciante assume os riscos de suas decisões serem boas ou más para o seu comércio. A liberdade querida pelos Gays é esta, para mim tudo, para os outros nada.

    • Caro Flavio, se você prestar atenção ao que está dizendo vai reconhecer como sua fala é equivocada quando cita esse conceito errôneo de “liberdade de mercado”. O que você acharia de um comerciante que decide não vender para negros, idosos ou pessoas com deficiência? A questão aqui não é liberdade de mercado, é direitos humanos. O mercado não pode está acima dos direitos humanos, quando isso acontece, temos a escravidão, por exemplo. A ninguém pode ser dado o direito de ofender outra pessoa acima da lei, principalmente quando isso diz respeito às liberdades individuais. No Brasil, como é muitos outros países, não é crime ser LGBT, logo se opor a isso de maneira agressiva é um crime. Assim como se opor de maneira agressiva a uma pessoa idosa, negra ou indígena e etc. Aprender sobre liberdades individuais no Estado de Direito, nos faz muito bem. Amplia nossos horizontes sobre o valor do ser humano. Obrigado por seu comentário.

  7. Comparar gays com negros,deficientes,indígenas… é de uma aberração tremenda! Os cristãos seguem um manual chamado bíblia e o mesmo é repleto de desaprovações quanto a esta conduta horrível! Deus ama o pecador mas abomina o pecado! No caso da mulher que ia ser apedrejada vc. omite esta parte da história:Jesus falou para a mulher adúltera;vá e não peques mais, ele não falou pra mesma continuar na vida de prostituição! Importa obedecer a lei de Deus e não as dos homens, ainda que isto nos custe a prisão! Como é que eu sendo confeiteiro vou fazer um bolo, para um casamento gay? Que procurem um confeiteiro gay, ora bolas! Vcs. querem implantar uma ditadura gay e serem aceitos como normais,coisa que nunca serão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s